sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

Pinha

 24 anos da minha Inês e, como é tradição, moldei um salame de chocolate com a sua inicial, para bolo de anos. Este ano fiz também uma pinha e foi um sucesso.

Adaptei a receita original, fiz com muito mais amêndoa e cortei na manteiga:
  • 400 gr de manteiga sem sal (fiz com sal e apenas 375gr)
  • 400 gr de açúcar branco
  • 4 ovos
  • 150 gr de amêndoa pelada torrada e partida ( fiz com aproximadamente 350 gr)
  • 1 pacote de bolacha Maria
  • 125 gr de natas ( utilizei um pacote inteiro de 200ml)
Bater a manteiga com o açúcar até ficar branca. Juntar os ovos inteiros, um a um, batendo sempre e por fim as natas, continuando a bater.
Triturei aproximadamente 150 gr de amêndoa com a bolacha na KitchenAid e adicionei ao creme, na receita original apenas se acrescenta a bolacha.
Colocar no frigorífico para ser mais fácil moldar a pinha.
Com a falta de tempo moldei algo parecido com uma pinha e forrei "à balda" com amêndoas inteiras (as 150gr de amêndoa, da receita original é apenas para forrar a pinha). Feito com calma fica uma pinha bem gira para uma mesa de Natal. Um toque final é fazer "chuva" de caramelo líquido sobre a pinha, mas só na hora de servir! Fiz logo e o efeito desapareceu. Guardar no frigorífico até à hora de servir.
Um doce, que pode decorar uma mesa de Natal, podendo ser feito com tempo para desfrutar em pleno os dias de natal, em família.
Todos adoraram e por isso vou fazer uma Pinha para este Natal, mas que se pareça com uma Pinha!
Há que ter calma na cozinha!
A minha Inês merece muito mais que uma Pinha feita à pressa, mas este ano, o trabalho na Escola não deu para mais! Esta minha filha é a única cá de casa que gosta de festejar em grande. As festas chegam a durar 3 dias e logo ela nasceu a uns dias do Natal!

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

C.O.R

C de Colorir - linho antigo manchado.
Produto para tingir tecido aqui, na IDEAL
vídeo explicativo
O de organizar - o espaço onde guardo tecidos,
R de reciclar - linho de grande qualidade.
Resultou, tenho de experimentar outras cores! Partilho esta nova experiência no Made by you Monday

sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

Um bairro, uma aldeia

Viver no meu bairro é como viver numa aldeia e é muito "fixe"!
Temos uma árvore dos desejos.

Peguei, aleatoriamente, em alguns desejos ao vento e li...
Uma cabine de leitura,
Temos onde ler, à sombra ou ao sol.

Anteontem, quando estava a chegar à Escola, até me cruzei com a "bicharada" do campo!

E ontem, as escolas do meu bairro, as minhas escolas do tempo de aluna e agora de professora, juntaram-se num corta-mato, no Parque de Jogos do INATEL. Quando os meus filhos andavam no Jardim Escola era aqui que terminávamos os nossos dias, era aqui que gostávamos de estar. Enquanto eu bordava ou lia, eles brincavam. Era uma Mãe muito descontraída e eles gostavam disso!

É saudável a vida do meu bairro.
Gosto do meu bairro e ainda mais de saber que, sem sair do mesmo passeio, caminhando por um dos quarteirões deste bairro, tenho a casa dos meus pais, rodeada das casas dos filhos, irmãos e sobrinhos. Somos uma Família que criou raízes no solo deste bairro onde nascemos, crescemos e vivemos. É por isso que, apesar de morar a 10 minutos da minha Escola, preciso quase de meia hora e muitos sorrisos para lá chegar, sem atrasos! Aqui desenvolvi um sentido de pertença que só sinto também "Entre a Serra e o Mar", o meu refúgio da agitação desta minha aldeia citadina.

quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

Em contagem decrescente para o Natal

Por esta altura, apesar do esforço para não me sentir assim, começo a andar ansiosa, sentindo-me empurrada pelo tempo. Há sempre tanta coisa que quero fazer e outras tantas que tenho de fazer! Os presentes que quero oferecer já estão quase todos idealizados, mas nenhum começado! Hoje, finalmente, consegui todos os materiais necessários para deitar mãos à obra, pois faltavam-me novelos Merino, da Woolly.
 Vou dar uma espreitadela nestes livros de bordados, para encontrar uma forma de personalizar alguns dos presentes de Natal. Tive uma certa dificuldade em adquirir estes livros, tendo-os conseguido comprar através de uma encomenda à Retrosaria, pois lembrei-me que a Rosa Pomar, tem sempre livros japoneses de muita qualidade na sua loja. Entretanto abrando o ritmo e vou ver tricot e outros livros no yarn-along.

terça-feira, 9 de dezembro de 2014

Retomando a Tradição

Com o nascimento dos meus filhos comecei a antecipar as decorações de Natal, para o dia 1 de Dezembro. Este ano decidi retomar a tradição embora, há já uns dias, tenha colocado num lugar de destaque os nossos Presépios "permanentes" e tenha decorado uma míni árvore.
o nosso primeiro Presépio, ao lado uma "Caixa de desejos"

Calendário do Advento, feito por mim com tecido comprado na feira de Paris.
 Depois de muita combinação familiar decidimos retomar a tradição de decorarmos a Árvore de Natal, no dia 8 de Dezembro, dia da Imaculada Conceição e Dia da Família. Quando os filhos crescem há "coisas" que passam a ter de ser agendadas para que todos estejam presentes! Enfim, algo a que já me vou adaptando. Mas consegui juntar, num feriado, os meus filhos e ao som de músicas de Natal, preparámos um lanche, decorámos a nossa árvore e o nosso Lar.
24 decorações de Natal,que vinham por fazer, junto com o tecido do calendário. Este ano ainda tenho mais uma "costurice" que quero fazer!
O Pai Natal presente na Árvore de Natal, desde o primeiro Natal da minha filha mais velha.
 As  duas primeiras velas do Advento só ontem foram acesas, pois só ontem decidi o que queria para o centro.
Corações e estrelas de tecido cortados com a Sizzix Big Shot
  Este ano junto das velas, coloquei as nossas recordações Escocesas e, uma vez mais, os "nossos" filhos.
A Inês  nasceu em Dezembro por isso "carrega" o pinheiro na companhia de um cão, já que é a que mais passeia os nossos cães
A Madalena é a nossa "Esquilinho"
O António vive na "descontra"!
O nosso centro tem uma quinta vela, a das nossas bodas de prata, que será acesa no dia de Natal.
Desencantei as decorações mais antigas da casa, coloquei na minha costureirinha e os meus filhos ficaram encantados! 
 Todos os anos o presépio feito pelos meus filhos, com pasta fimo, tem um lugar especial na nossa sala. Engraçado porque fizeram também o Pai Natal, deviam ter receio que ele se zangasse, até moldaram um pinheiro e um saco de presentes!
 Quanto ao lanche estava uma delícia e "A culpa é das bolachas"!
Experimentámos moldar pinheiros, com manteiga de amendoim e Nutella, fazendo o tronco com um pau de canela, mas quando chegou a hora de colocar amêndoas torradas, em vez de cereais, como diz aqui na receita, só tínhamos amêndoas laminadas e, apesar de delicioso, em nada se pareciam com pinheiros, tendo dado direito a muita risada e trocadilhos!

Não vamos desistir e faremos nova tentativa de construir um pinhal coberto de neve!
Por agora, vou retomar as costuras de Natal, Keep calm, crafting on !

quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

A minha irmã

Além de ter   a melhor irmã do mundo tenho também a mais paciente! Só agora é que terminei estou  a terminar um dos presentes do Natal de 2013, mas ainda falta fechar os corações com uns pontos invisíveis.


Com a Família a crescer, para evitarmos "corridas" numa época que se quer vivida com paz e serenidade, há uns anos que sorteamos entre irmãos o casal para trocar o presente de Natal. Ainda assim, não consigo terminar a tempo os presentes que teimo em fazer! Estes corações estiveram quase um ano na minha mesa! Primeiro a desculpa foi a falta de enchimento, depois não me decidia como os queria terminar, por último a desculpa foi não ter o tecido certo para a parte de trás. Mas pronto, consegui que ficassem prontos antes deste Natal. Tinha de ser, porque no sorteio calhou-me, uma vez mais a minha irmã, que é o mesmo que dizer, o casal A.P.
Um dia li ...
"Stitches are the words of our needle language; Without them we cannot speak" - Embroidery 1945
A minha escrita na ponta da agulha é lenta, mas é assim que gosto de "escrever" o que me sai do coração. Um presente com alma tem de sair de pontos dados com a alma nas mãos. Estou com dificuldade em me expressar, mas o que quero dizer é que enquanto conseguir farei os meus presentes (mesmo com atrasos)!