segunda-feira, 17 de Março de 2014

Made by me - #3; 2014

Tricoto lentamente este xaile. Preciso de tempo e neste momento para o tricot sobra pouco.
Mas não resisto e vou comprando fios!


A  loja Tricot das cinco é tão apetecível que não há como vir de lá de mãos a abanar!
Vou espreitar a página da Cindy, ver as novidades do tricot e crochet e talvez traga de lá uma ideia para dar destino a estes fios. Na verdade já tenho umas ideias, mas gosto de as coleccionar!

domingo, 16 de Março de 2014

Scottish Diaspora Tapestry

2ª semana
Este domingo, não me foi possível combinar um encontro para bordar o painel, mas ele anda sempre comigo, nesta corrida contra o tempo! Levei-o para o aniversário do meu Pai (nestes dias, sinto-me abençoada pela vida!) e, apesar da confusão de uma família grande, consegui dar uns pontos, sob o olhar atento da minha afilhada.

Comecei assim a 2ª semana desta viagem, na ponta da agulha, num ambiente de grande festa!
Continuarei em festa, com as bordadeiras com quem tenho partilhado bons momentos. Esta semana será dedicada à cor e experiências de pontos.

sábado, 15 de Março de 2014

Scottish Diaspora Tapestry - 1ª semana

A primeira semana desta viagem entre Portugal e a Escócia, 
na ponta de uma agulha!
Começámos numa livraria, com uma "marca Lisboeta", a nossa calçada, que reflecte a luz fantástica da nossa cidade.
Livraria Barata
Fomos para uma adega, ladeadas por vinhos do Porto, das famílias Escocesas do nosso painel.
Mercearia Criativa
Passámos para o piso de cima, para uma mesa mais à nossa medida, com mais luz e continuámos a nossa "viagem" rodeadas de produtos regionais.
Mercearia Criativa
 Visitámos a ComTradição, onde se revive e respira tradição. 
ComTradição
 Desafiámos a Trapos e Rendas para, no próximo sábado, bordarmos na "minha" Serra. 
Trapos e Rendas
Foi uma semana rica em troca de experiências, conversa, risos e sorrisos. No bordado apenas se bordou ponto pé de flor, para termos todos os contornos "presos" à tela, antes de se apagarem! 
No sábado, não resisti e, comecei a salpicar a tela com cor!
Uma vez mais obrigada a todas as bordadeiras que alinharam nesta viagem, na ponta da agulha.
Obrigada a todos os nossos anfitriões, que se esmeraram na arte de bem receber.
Partimos para a nossa segunda semana desta grande aventura que é viajar na ponta da agulha, entre Portugal e a Escócia. 

Fica o convite para embarcarem também nesta viagem com a Méri. Farão assim uma dupla viagem, uma com ponto de partida em Lisboa, outra com ponto de partida no Porto

 Darei notícias. Fiquem atentas/os ! 

domingo, 9 de Março de 2014

Primeiros pontos

Ontem, cheias de entusiasmo e depois do dia lindo que esteve, eu e a Ana Paula combinámos começar hoje a bordar os primeiros ponto num Jardim.
O saco do projecto foi um presente da Agulha não Pica.
 O tempo assim não o quis, pregou-nos uma partida e tivemos que procurar abrigo. Fomos encontrá-lo na Livraria Barata. Como estávamos perto da casa da Ana S., que também se ofereceu para bordar connosco, desafiamo-la a vir ter connosco. Foi uma manhã produtiva e bem animada.


 A seguir ao almoço ainda consegui dar mais uns pontos em casa.


Embora a qualidade das fotografias seja má (o Zé bem diz que só reclamo!) quis partilhar o bastidor de pé que comprei junto com um Kit de Crewel.

sábado, 8 de Março de 2014

Scottish Diaspora Tapestry


Março será um mês para bordar a lã e em grupo!
Aceitei o desafio da Gabi, da Agulha não Pica, cheia de entusiasmo, embora receosa em relação ao tempo de que dispomos. Telefonou-me para saber se estaria interessada em participar na Scottish Diaspora Tapestry. Disse logo que sim e quando ouvi o nome da Méri, toda eu sorri. Senti um imenso orgulho por fazer parte deste projecto, junto com a minha mestra de bordados, num ensino à distância, mas que tem tido os seus resultados! Em relação ao Bordado, com lã Escocesa, a Méri explica tudo lá no seu blogue.
Hoje finalmente tivemos o nosso primeiro encontro, no Café Saudade. Quisemos associar o nome deste espaço ao projecto, já que toda a Tapeçaria está relacionada com emigrantes, embora escoceses certamente também terão sentido a saudade dos nossos emigrantes portugueses.
Convidei a Ana Paula, que foi a primeira a oferecer-se para bordar este magnifico projecto. A tarde foi muito rica, em todos os sentidos.Viemos de lá com as ideias, mais ou menos, alinhavadas.
O Zé foi o nosso repórter fotográfico. Ele bem disse que eu reclamo sempre a qualidade das fotografias e desta vez, para não variar, também reclamei, mas estou encantada por ter ficado com "memória fotográfica" deste nosso primeiro encontro.
os livros
Troca de ideias, partilha de experiências
Lãs para o painel do Porto
Estudando os pontos

Alguns acertos...

terça-feira, 4 de Março de 2014

Ser FELIZ...

Hoje comemoro a Maior bênção, ser Mãe!
A 4 de Março de 1995, mal sonhava eu, durante um parto complicado, que aquele momento seria dos mais simples, da nossa vida a dois! Apesar de todas as preocupações e dos desafios constantes, sou feliz trilhando os caminhos, sempre difíceis, que o meu filho mais novo escolhe.
As irmãs, umas vezes na brincadeira, outras vezes já sem paciência, dizem "Se o António tivesse sido o primeiro, seria filho único! Mãe, ele é dose!".
O Director de Turma, da escola Artística António Arroio, trocava com ele sorrisos cúmplices e dizia " Nós artistas, nem sempre escolhemos os caminhos mais fáceis!". Eu que o diga!
Conquista facilmente os adultos (e não só!) pela sua extraordinária generosidade, "O António tem o coração do tamanho do Mundo"- dizia-me um professor. Claro que só me podia sentir FELIZ, apesar de "- O seu filho é um génio, tanto para a matemática, como para a asneira", "Só mesmo ele para se lembrar de...Claro que os colegas lhe acham imensa graça, até eu tenho dificuldade em me zangar com ele!", "Já disse ao António, que ele é como uma bicicleta topo de gama! Se ele não pedalar, a  melhor bicicleta ela não anda. Enquanto uma má bicicleta, quando é pedalada vai andando!"...Enfim, dá para imaginar o "filme"!
Mas...
Aos 8 anos de idade, perguntando o que queria de presente de anos, respondeu-me "- O teu Amor, Mãe". Tínhamos acabado de viver um mês, um sem o outro, sem nos vermos, sem nos tocarmos (foi durante o meu internamento). Viciados no nosso Amor, sentíamos a carência um do outro. Claro que o António inventou logo uma estratégia para ficar comigo e não ir às aulas! Na escola, saltou de um muro e veio para casa de muletas!
Hoje celebro este nosso Amor, maior que...o  MAIOR universo, aquele onde não há limites, desejando poder dar-lhe, por muitos e muitos anos, o meu amor de Mãe, como ele me tem dado o seu amor. Vivo momentos afogada em preocupações, sobrevivendo sempre salva pelo seu Amor. O seu amor é a minha bóia de salvação, eu sou o seu Porto seguro. E assim vamos navegando na nossa "Vida-a-Vida", lado a lado, desafiando tempestades, atravessando bonanças,  vivendo a nossa carência um do outro.
Presente dos 18 anos
Presente no dia em que nasceu

sexta-feira, 28 de Fevereiro de 2014

Fevereiro, mês da lã

Este mês apenas tricotei!
Comecei por terminar este xaile.

 O segundo xaile encontrei-o num vídeo da "minha" professora de tricot em inglês, a Very Pink .


Tenho dois xailes terminados aguardando melhores dias para serem esticados.
Este mês, que me dediquei ao tricot, fez toda a diferença os ensinamentos da Filipa, da Nionoi, numa aula personalizada. Passem por , fiquem a conhecer o seu blogue e consultem os seus excelentes vídeos;)
  Março será igualmente dedicado à lã, mas a bordar. Tenho novidades e conto com a vossa participação, ou ajuda na divulgação! Brevemente, espero ter mais detalhes deste desafio. Fiquem atentas! Já conheço uma das minhas parceiras, a Méri. Estou tão feliz! Obrigada Gabi, por se ter lembrado de mim.

segunda-feira, 27 de Janeiro de 2014

Poncho em crochet

Apesar de ainda não ter terminado as caneleiras poveiras, partilho o poncho que irá fazer conjunto com as caneleiras.



Assim, este projecto de crochet , será a minha contribuição para a página da Cindy.

segunda-feira, 20 de Janeiro de 2014

Made by me - #2 ; 2014

A semana passada foi dedicada a tricotar 3 cachecóis por música, modelo do livro "Malhas Portuguesas", fios da Artimoda.


o mais pequeno, tricotado à medida da minha sobrinha

a minha escala ?! um sofá de 2 lugares.
 Terminei, também, este poncho em crochet. 
 Não recorri a uma das minhas "modelos" para o fotografar porque, entretanto, comecei a tricotar umas "Caneleiras Poveiras", modelo do mesmo livro, com as sobras do poncho. Quando tiver o conjunto terminado partilharei.
Partilho na página da Cindy, o resultado das minhas horas dedicadas ao tricot, com o objectivo de divulgar o excelente trabalho da Rosa Pomar que tal como Ana Pires escreveu: "O resultado desta paixão, (...) resultou (...) neste livro único, que pela primeira vez nos dá a conhecer a realidade múltipla das Malhas Portuguesas, na história das suas diversas ocorrências, das suas condições de produção, das suas singularidades"..
Conjugar Paixão com Dedicação, Talento com Conhecimento, só podia ter este excelente resultado!

Toalha recuperada pela minha Mãe

No curso de bordados, a minha colega "mais do que favorita", recuperou uma toalha de casa da sua avó, minha bisavó. A toalha estava manchada e tinha alguns buracos. Ficou linda e é minha!
Lembrei-me de partilhar o "restauro" da minha mãe, numa tentativa de ajudar a minha professora de ensino à distância, a  Méri.

 

 
 
 Espero ter ajudado de alguma forma, já que recorro tantas e tantas vezes à ajuda preciosa da Méri.